As sacolas plásticas são um dos grandes vilões do meio ambiente na atualidade, além de demorarem 100 a 200 anos para se decomporem nos aterros sanitários suas moléculas plásticas podem demorar até 1000 anos para se degradarem nos elementos básicos, e o mundo produz cerca de 500 bilhões destas sacolas por ano.

Além disto elas entopem canos e bueiros nas cidades, provocando alagamentos e inundações e também matam animais que as ingerem por acidente, uma baleia foi encontrada morta com mais de 100Kg de sacolas plásticas no estômago, só para ter uma idéia de que o problema vai muito mais longe do que os lixões e encanamentos entupidos nas cidades.

Pensando neste problema, um estudante canadense chamado Daniel Burd, de apenas 16 anos, desenvolveu um raciocínio muito lógico e à princípio bem simples e que foi apresentado na Feira de Ciências Escolar Nacional em Ottawa, Canadá.

Se uma sacola plástica for deixada no solo ela vai ser decomposta com o tempo, pode levar séculos, mas será decomposta. Então, o que a decompõe? Partindo deste raciocínio e com a idéia de que o processo de degradação do plástico era de origem bacteriana ele montou seu primeiro experimento que consistia em isolar o microorganismo responsável por esta degradação, e não é fácil porque esta bactéria não existe em grande quantidade na natureza.

Ele moeu as sacolas plásticas até virarem um pó, juntou água da torneira e fermento de pão, misturou tudo e juntou terra do quintal mesmo, tudo isto dentro de um recipiente a 30 graus. A cada 4 semanas ele removia uma amostra da mistura e colocava em uma nova preparada da mesma forma, com isso aumentando a concentração de bactérias. Depois de 3 meses ele filtrou a cultura bacteriana e colocou em 3 frascos contendo tiras de sacolas plásticas, como controle ele fez um quarto frasco com a cultura fervida (bactérias mortas). Em 6 semanas as amostras de plástico nos frascos de cultura tinham perdido 17% de sua massa enquanto a amostra de controle continuava igual.

Com o uso de cultura em Placas de Petri com nutrientes ele acabou descobrindo 4 tipos de bactérias no solo e que duas delas funcionavam para degradar o plástico, juntando apenas as duas efetivas a eficiência do processo subiu para 32% em 6 semanas Se adicionar um pouco de acetato de sódio para alimentar as bactérias a 37 graus foram 43% de consumo de matéria plástica em 6 semanas, em pouco mais de um três meses ele supõe que todo o plástico estaria degradado.

Note, não é apenas desmontar a sacola em pequenos pedaços ou moléculas de plástico, mas sim destruir completamente, aquele processo que podia demorar até 1000 anos em apenas 3 meses. O garoto ainda testou o método em uma escala maior, com um balde cheio de sacolas e a efetividade foi a mesma, de modo que deve ser simples reproduzir o sistema em escala industrial e com baixíssimo custo.

Como prêmio ele ganhou 30 mil dólares e espero que tenha registrado o método para que possa ganhar alguma coisa com isto no futuro. Certamente existe espaço para otimização do processo mas assim como está já é algo fenomenal que ninguém tinha feito antes.

Copiado descaradamente do News Errado.

Anúncios

Valendo!

maio 27, 2008

Uma pessoa faz a ilustração e outra faz o texto. Funciona mais ou menos assim, sem tema nenhum, sem dar qualquer pista sobre o que estão fazendo. Me acompanha: de repente um fala para o outro VALENDO! e daí o ilustrador se põe a ilustrar o que lhe der na telha, e a redatora se põe a redigir o que lhe der na cachola. Quando de um canto ela termina o texto e, do outro, ele finaliza a ilustra, sem um saber o que raios o outro fez, eles enviam o trabalho um pro outro, juntam os dois e a obra de arte fica completa. Daí eles publicam o resultado aqui, repleto de coincidências bizarras, legendas engraçadas ou misturas sem sentido.

Mais aqui

Vi no Sedentário & Hiperativo

Música de Leonard Cohen, mas que fica muito melhor na versão de Jeff Buckley.

Uma das músicas mais bonitas que eu já ouvi em toda minha vida.

Bookcrossing

maio 26, 2008

Não sabe o que fazer com aqueles livros que você não quer mais guardar? Que tal “soltá-los na natureza”? Essa é a proposta do projeto “Bookcrossing” (BC ou, ao pé da letra, “troca de livros”): tornar o mundo uma grande biblioteca. Basta deixá-los em um local público, onde outros possam adotá-lo.

Mais aqui

Site oficial

Leia a matéria inteira aqui

Li no Ato ou Efeito

Vi no Xpock

ps:não consegui colocar o player do Xpock aqui, então garimpei no YouTube.

Muito legal esse clipe, pois ele mistura vários hits da internet como o gordinho do “Numa numa”, Tay Zonday, entre outros.

Acabei de ver no Sedentário e Hiperativo

Bar de esqueletos

maio 24, 2008

Vi no Curisiodades da Net

Baseado no filme Alien. Aliás, foi feito pelo próprio designer do filme, o premiadíssimo(entre esses prêmios, o Oscar) HG Giger.

Veja mais

The Ampersand

maio 24, 2008

Ou simplesmente “&“.

Acredite. Há um blog direcionado a ele.

The Ampersand

Fantasias subterrâneas

maio 22, 2008

Esse foi o título utilizado por Jam Abelanet para seu último trabalho. Ele fotografou algumas modelos nuas dentro dos metrôs franceses e também nas estações. O resultado foi um livro com 80 fotografias.

Mais fotos

Vi no Chongas